0 comentários

Toyota apresenta RAV4 Híbrido em Alicante

por em 7 Março, 2016
 

Foi o Recreation Activity Vehicle (RAV) que fundou o segmento de SUVs compactos, ao aliar as capacidades de um jipe todo-terreno às necessidades de um veiculo familiar, com a característica de ser ágil em meios urbanos. O sucesso desta fusão revelou-se no meio de mais de 6 milhões de unidades vendidas, onde 90% continuam a circular com o selo de fiabilidade Toyota e também com uma enorme legião de entusiastas por todo o mundo.

No que diz respeito às motorizações, o novo RAV4 trás consigo dois propulsores: o novo diesel 2.0 D-4D de 143 cv, que contrapõe logo de seguida com a motorização híbrida 2.5 HSD de 197 cv. Os consumos anunciados em ciclo combinado são de 4.7 l/100km no caso da versão diesel, e 4.9 l/100km na versão híbrida. Uma diferença escassa para a desigual potência entre ambos, mas num mercado «afundado» em motores diesel, será esta diferença suficiente para mudar as mentalidades portuguesas?

Esmiuçando a versão híbrida, os custos de manutenção são bem mais acessíveis do que num diesel moderno. Porquê? Porque a motorização híbrida dispensa a presença de componentes como embraiagem, alternador, motor de arranque, correia de distribuição e até o próprio desgaste dos travões é mínimo. É suficiente para pensar duas vezes antes de finalizar a compra de um carro? Bem… a Toyota espera que em 2020, metade das suas vendas sejam híbridas.

Já em estradas de «nuestros hermanos» (a apresentação decorreu em Alicante, Espanha), o novo RAV4 transmite a primeira sensação de uma postura bem madura e focada no conforto a bordo. O interior demonstra uma cuidada escolha de materiais, a qualidade de construção e insonorização surpreendem, e o equipamento é vasto. A tecnologia Toyota Safety Sense é uma das principais novidades que recorre a uma câmara situada no pára-brisas e a um radar colocado sob o logótipo nipónico, com o intuito de prevenir possíveis colisões e de apurar a precisão de outros sistemas presentes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Expressando as aptidões estradistas, o novo RAV4 é possuidor de um carácter confortável, deixando a dinâmica propriamente dita para segundo plano, como qualquer crossover. Em ambas as versões 4×4 e 4×2 que conduzi, os genes “off-roader” encontram-se bem presentes no seu ADN, no entanto, foi em estrada que senti maior entusiasmo. Os arranques (0-100km/h em 8.3s) e as recuperações são bastante eficazes graças à disponibilidade do binário eléctrico. Porém, sempre que abusamos do acelerador, o subir de rotações, oriundo da caixa CVT (Transmissão Variável Contínua), que até melhorou, continua demasiado intensivo.

Por último, mas não menos importante, até porque a Toyota preparou uma surpresa: O preço! Os valores para a versão de equipamento Active (2.0 D-4D) começam na casa dos 33.000€ e escalam até aos 45.000€ na versão Exclusive (2.5 HSD). Em campanha de lançamento, com um desconto de 2.500€, está a versão Comfort (2.0 D4D) que custa, nada mais, nada menos, o mesmo da versão base Active. Outra boa notícia é que o novo RAV4 pagará portagens de Classe 1, desde que esteja associado a uma via verde.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Voltando a falar da campanha e do desconto de 2.500€, eu aconselho mesmo a usar uma calculadora para somar a potência que o híbrido tem a mais, subtraír as emissões que tem a menos, e a multiplicar o valor de todas aquelas coisas que um híbrido dispensa na sua manutenção. Já agora, sabia que desde o lançamento do Prius, a Toyota já poupou 58 milhões de toneladas de dióxido de carbono ao mundo com o seus 8 milhões de híbridos vendidos?

Siga mais aventurar do nosso amigo Marco Coelho no seu blog, o Drive My Passion