0 comentários

Fomos conhecer o novo Prius em Valência, e gostámos!

por em 20 Abril, 2016
 

Quando surgiram as primeiras imagens da nova geração Prius, a principal reacção foi “WTF” (“mas que porra”, traduzindo à letra, mas de forma mais contida). O que deu na cabeça aos responsáveis de design da Toyota? Como se não bastasse, o discurso durante a conferência de imprensa não ajudou em nada, talvez porque tenham passado a mensagem errada.

Felizmente, se ignorarmos tudo o que foi dito no discurso dos responsáveis e usarmos a lógica, o design acaba por fazer algum sentido, especialmente se pensarmos que o Prius é tem que ser um automóvel diferente, direcionado a um público distinto. Como tal, a inspiração no Mirai é óbvia, bem como o cuidado redobrado na eficácia aerodinâmica, algo que permitiu tornar o novo Prius num dos automóveis com o menor coeficiente aerodinâmico do mercado com 0.24, superado apenas pelo Volkswagen XL1, com 0,19 e pelo futuro Tesla Model 3, com 0.21.

Deixando o design de parte, há-que recordar a importância que o Prius tem para a Toyota, não só por ser um modelo “bandeira”, que representa todo o empenho da marca em ser a mais eficiente e amiga do ambiente do mercado, como pelo facto de ser, neste caso em concreto, o primeiro modelo a estrear diversas novidades no grupo, como a utilização da nova plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture).

Esta plataforma, à semelhança do que ocorreu com o desenvolvimento da plataforma MQB no Grupo Volkswagen e outras soluções similares, permitirá à Toyota reduzir em 20% o custo de produção de novos modelos, ao permitir que a mesma seja partilhada. Esta plataforma apresenta ainda duas importantes inovações, o facto de ser significativamente mais rígida (mais 60% que o Prius anterior), como o facto de permitir a aplicação de uma suspensão traseira independente, composta por um sistema com duplo triângulo com braços de ligação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O resultado é um automóvel que se conduz… como um automóvel. Ok, talvez tenha exagerado, mas a realidade é que o novo Prius conduz-se como um automóvel moderno, eficaz e até mesmo divertido quando as estradas o permitem, deixando de ser aquela espécie de nave espacial que tinha um comportamento totalmente artificial, e que de desportivo ou “gozo” pouco mais tinha, que não tentar conseguir o melhor consumo possível nos percursos quotidianos.

Durante os percursos programados pela Toyota Europa para a apresentação internacional, nos arredores de Valência, embora as vistas não tenham sido deslumbrantes, a realidade é que o Prius revelou um comportamento bem mais previsível e divertido do que seria de esperar em estradas de montanha. Este resultado deve-se a todas as alterações já realizadas em termos de rigidez do chassis, suspensão altamente melhorada, nas dimensões optimizadas (15mm mais largo e 20mm mais baixo) e na transição do conjunto de baterias para debaixo do banco traseiro em vez de estar na bagageira, melhorando assim a distribuição de peso entre os eixos e reduzindo o centro de gravidade.

Aliás, basta ver pela posição de condução, que está 59mm mais baixa que o anterior, sem que isso prejudique a excelente visibilidade, graças à transformação do tablier, que está igualmente mais baixo para acompanhar o posicionamento do condutor. A referida alteração da colocação da bateria permitiu à Toyota adoptar por um novo sistema de baterias, sendo estas 10% mais pequenas do tipo Ni-MH (Níquel Metal Hídrico) que, graças ao novo conversor eléctrico (30% mais pequeno), permite recarregar as baterias mais rapidamente, uma vez que transmite mais 28% de energia que o anterior no mesmo período de tempo.

Em termos de motorização, o novo Prius mantém a utilização de um motor de quatro cilindros 1.8 a gasolina atmosférico com ciclo Atkinson, embora este tenha recebido agora dois motores eléctricos, garantindo uma potência total combinada de 122cv. Este motor, que recebeu inúmeras alterações para ser ainda mais eficiente (a Toyota garante uma impressionante eficiência térmica de 40%), em conjunto com a renovada caixa CVT (que viu reduzidas em 20% as perdas de potência), garantem um comportamento significativamente melhor, uma vez que a actuação dos motores eléctricos permitem compensar os momentos de maior aflição para o motor de combustão, especialmente quando usado o modo “Power”.

Para os mais ecológicos, o modo “Eco” continua presente, tendo este uma actuação similar ao modo Normal da geração anterior, como forma de evitar que este seja tão “lento”, ao mesmo tempo que garante uma maior eficiência e menor consumo. Embora os percursos não tenham sido perfeitos, o resultado surpreendeu, com o computador de bordo a registar uma média de todo o percurso de 4,2 litros por cada 100km, com uma condução totalmente despreocupada e num circuito pouco amigável para automóveis híbridos.

Toyota Prius_09

Falta falarmos no interior e nas tecnologias utilizadas, com o novo Prius a aplicar o novo sistema de infoentretenimento já utilizado no Auris, bem como o sistema de climatização abaixo do mesmo, e o sistema dos botões de modos de condução em conjunto com a invulgar manete de velocidades. No topo continua a predominar o ecrã de 4.2 polegadas que serve de painel de instrumentos, e o head-up display colorido que projecta no párabrisas as principais informações para não precisar de desviar o olhar da estrada.

Em termos de tecnologias aplicadas, o novo Prius vem recheado com todas as tecnologias existentes no Grupo Toyota, como o conjunto de sistemas de segurança Toyota Safety Sense (cruise control adaptativo com reconhecimento de peões), leitor de sinais de trânsito, assistente de máximos, assistente de mudança de faixa, assistente de estacionamento e outros. Destaco ainda a colocação de um versátil sistema de arrumação e carregamento de Smartphone por indução, que funciona apenas com modelos compatíveis com a tecnologia, como o novo Samsung Galaxy S7, por exemplo.

Disponível em quatro versões específicas (Exclusive, Luxury, Luxury + Pele e Luxury + Pele + Pack Techno), o novo Prius já pode ser encomendado em qualquer concessionário da rede oficial Toyota em Portugal, com preços que começam nos 32.355 euros para a versão Exclusive. Poderá aproveitar a campanha do lançamento e adquirir as versões mais equipadas com um desconto de 1600 euros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe um comentário

 

Deixe uma resposta