0 comentários

Hamilton vence num Grande Prémio marcado por desqualificações

por em 31 Outubro, 2016
 

Lewis Hamilton voltou a dominar, desta vez no Grande Prémio do México, ao conquistar a sua 51ª vitória e oitava esta época, situação que o torna no segundo piloto com maior número de vitórias na história da Fórmula 1, igualando assim o número vitórias de Alain Prost, embora esteja longe das impressionantes 91 vitórias de Michael Schumacher.

Já o seu companheiro de equipa, Nico Rosberg, concluiu a prova atrás de Hamilton, tendo este resultado sido a sexta vez que termina esta época nesta posição, atrás do piloto britânico. Se à frente a situação foi algo monótona, por causa do domínio dos Mercedes-AMG, o mesmo não se pode afirmar dos restantes três lugares, onde se registaram as maiores complicações para os assistentes de prova.

Apesar de terminar a prova na terceira posição, Max Verstappen foi desclassificado por ter feito incorrectamente as primeiras duas curvas na volta 68, tendo passado por cima da relva. Esta situação, que decorreu por estar a lugar com Sebastian Vettel pela terceira posição. Mais tarde, Verstappen recebe ordens de deixar passar Vettel que estava a circular mais depressa, mas o jovem piloto Holandês recusou seguir as ordens da equipe, permitindo assim ao seu companheiro Daniel Ricciardo aproximar-se de Vettel.

A manobra de Verstappen levou a que o mesmo, quando ia a caminho do pódio, fosse afastado com uma penalização de 5 segundos, situação que o relegou para quinta posição. Apesar de Vettel, que protestou veemente durante a prova, foi posteriormente desclassificado após protestos de Ricciardo, que afirmou que Vettel impediu-o de ultrapassar ao realizar mudanças de direcção durante as manobras de travagem em curva, manobra essa que é (actualmente) proibida, por questões de segurança.

Curiosamente, este tipo de manobras tem sido uma das “bandeiras” de Vettel nos recentes protestos da condução de Max Verstappen, desde que o jovem piloto ingressou na Red Bull e tem conseguido conquistar bons resultados, fruto da sua condução agressiva. Após reverem a manobra, os comissários de pista atribuíram uma penalização de 10 segundos e dois pontos para a próxima prova, colocando Ricciardo na terceira posição do Grande Prémio do México, seguido por Verstappen e só então Vettel.

Através desta prova, Hamilton reduz a diferença de pontos face a Rosberg, para 19 pontos, estando Rosberg a dominar o mundial de pilotos com 349 pontos, Hamilton com 330 e Ricciard com 242 pontos. Já em termos de construtores, a Mercedes-AMG, que já é campeã esta época, aumentou a pontuação 679 pontos, com a Red Bull a seguir com 427 pontos e a Ferrari com 365 pontos.