Cockpit
2180 visualizações 0 comentários

Renault Mégane 1.6 dCi Bose Edition – Criado para dominar

por em 25 Julho, 2016
 

O Renault Mégane é o chamado peso pesado da Renault, pois em conjunto com o Clio, tem sido o automóvel mais vendido em Portugal nos anos de 2009, 2010, 2011 e 2012, tendo-se mantido no topo das preferências enquanto veículo mais vendido no seu segmento (Segmento C) em 2013, segundo lugar em 2014 e terceiro em 2015. Estes resultados, como deverá entender, revelam a importância deste modelo num mercado que já começa a ser fortemente influenciado pelas frotas, tanto em Portugal como pela Europa fora.

Como tal, o lançamento de uma nova geração implica um investimento muito importante para o fabricante francês, que soube aproveitar a nova plataforma modular CMF da Aliança Renault-Nissan, e da assinatura visual estreada com os novos Renault Espace e Talisman. Heis o novo Mégane, que chega assim à sua quarta geração como sendo um dos modelos mais inovadores e tecnologicamente completos do seu segmento de mercado.

Começando pela já referida plataforma, esta permite ao Mégane desfrutar de soluções, tanto mecânicas como tecnológicas, utilizadas por modelos de gamas superiores, como a recurso do sistema 4Control (sistema de quatro rodas direcionais), solução que permite que as rodas do eixo traseiro virem de acordo com o modo de condução escolhido e a velocidade, permitindo assim uma condução mais dinâmica e segura, embora esteja disponível apenas na versão GT.

Visualmente o novo Mégane é claramente inspirado na nova imagem de marca da Renault, visual esse estreado com o Clio, que conta com um grande logótipo no centro da grelha, ópticas rasgadas com recurso à iluminação LED para a criação de um guia de luz diurna em forma de C, podendo as ópticas recorrer na sua totalidade à tecnologia LED, através da solução LED Pure Vision, disponível nas versões superiores. O mesmo poderá ser encontrado atrás, com a presença de um guia de luz que cobre quase toda a traseira do Mégane, sendo nesta situação em LED para todas as versões.

Pelo modelo de teste ser um Bose Edition, a Renault recheou este modelo com equipamento adicional, como as elegantes jantes de 17 polegadas, puxadores das portas cromados, tubo de escape cromado, vidros laterais traseiros escurecidos e a possibilidade e optar pelo sistema LED Pure Vision.

Mas para desfrutar desta versão, face às restantes, terá que aceder ao seu interior, onde será brindado com um visual e acabamentos significativamente superiores aos encontrados na anterior geração Mégane (embora ainda existam alguns plásticos de fraca qualidade em alguns pontos), como a utilização de um volante multifunções forrado a pele, alavanca da caixa de velocidades em couro com contorno cromado, painéis das portas com decorações em alumínio escovado, apoio de braços nos bancos traseiros, estofos com desenho desportivo que confere um excelente apoio lateral, com decida regulação lombar e função de massagem.

Mas, como o nome indica, este modelo destaca-se pelo desenvolvimento de um sistema de som da Bose, criado exclusivamente para este modelo, tirando assim partido da estrutura do veículo para uma reprodução de alta qualidade, com a aplicação de um total de oito altifalantes na zona das portas, um altifalante central à frente e um subwoofer colocado na zona do porta-bagagens, onde habitualmente se encontra a roda suplente. Todo este sistema, bem como as funções de infoentretenimento, navegação e gestão das ajudas ao condutor são realizadas através do sistema R-Link 2, composto por um enorme ecrã táctil de 8,7 polegadas colocado na consola central.

Em termos de motorização, este Mégane vinha equipado com o motor diesel dCi mais potente da gama, o 1.6 dCi de 130cv, que associado a uma eficaz caixa manual de seis velocidades garante um comportamento muito interessante, bem como consumos contidos caso o pretenda levar para o Algarve de férias. O comportamento deste, bem como da direcção da caixa de velocidades, poderá ser regulado através do sistema Multi-Sense, que dispõe de quatro modos pré-configurados (Neutral, Sport, Confort e Eco) e um personalizável, onde poderá, através do ecrã táctil R-Link 2, regular todos os parâmetros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficha Técnica

Motor Prestações
Tipo Quatro cilindros em linha Velocidade Máxima 199 km/h
Capacidade 1598 cc Aceleração (0-100 km/h) 10,0 s
Potência 130 cv (4000 rpm) Consumos (litros/100 km)
Binário 320 Nm (1750 rpm) Cidade (anunciado) 4,7
Transmissão Estrada (anunciado) 3,6
Tracção Dianteira Média (anunciada) 4,0
Caixa Manual de seis velocidades Emissões Co2 103 g/km
Chassis Preço
Dimensões (Comp. / Alt. / Larg.) 4359 / 1447 / 1814 m Valor base €28 800
Peso 1318 Kg Valor viatura testada €30 730
Bagageira 434 – 1247 litros I.U.C. €142,12
Detalhes
 
Marca
Combustível
Positivos

- Qualidade de construção
- Visual atraente
- Nível de equipamento
- Sistema de som Bose

Negativos

- Alguns plásticos de qualidade inferior
- Visual não tão cativante quanto versões GT

Pontuação Motor+
 
Design
7.5

 
Interior
8.0

 
Desempenho
7.0

 
Consumos
8.0

 
Equipamento
8.0

 
Preço
8.0

Pontuação Final
7.8

Vote
Pontuação do Leitor
 
Design
9.5

 
Interior
8.4

 
Desempenho
8.0

 
Consumos
7.3

 
Equipamento
8.6

 
Preço
5.9

Pontuação do Leitor
8pontuações
8.0

Acabou de pontuar

Resumo
 

Apesar de oferecer uma excelente relação preço/equipamento, esta versão poderá não desfrutar do devido sucesso que merecia, muito por culpa da elevada procura pelas versões GT e GT Line, com o seu visual mais desportivo. Ainda assim, o novo Mégane, nesta edição Bose, garante ser uma excelente proposta com uma qualidade de construção e soluções tecnológicas que estão, cada vez mais, ao nível dos modelos alemães. Se a isso juntarmos o preço acessível, o novo Mégane tem tudo para voltar a dominar o segmento e o mercado.

Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe um comentário

 

Deixe uma resposta