Cockpit
3450 visualizações 0 comentários

Volkswagen Scirocco TSI – Património Nacional

por em 10 Abril, 2015
 

Recorda-se do anúncio da farinha que tinha como lema “O que é Nacional é bom”? Pois bem, no caso deste Volkswagen Scirocco, é exactamente isso que senti quando devolvi ao Importador Nacional esta viatura após alguns dias de ensaio. Criado originalmente em 1974, o Scirocco original foi desenhado por Giugiaro e fabricado pela Karmann, tendo sido considerado como o sucessor do Karmann Ghia. O resultado foi um coupé, desenvolvido usando o Golf como base.

A geração actual, que tem sido produzida nos últimos seis anos na fábrica de Palmela, já conta com mais de 212 mil unidades produzidas, tendo sido recentemente actualizado, de forma a permitir integrar algumas das mais recentes inovações tecnológicas do grupo, como a motorização que equipava este modelo. Externamente as novidades são à base de pormenores, como as novas ópticas que passam a dispor de uma assinatura em LED para as luzes diurnas, nos modelos Bi-Xénon, com sistema activo de iluminação em curva, ópticas traseiras com tecnologia LED e novas jantes, como estas belíssimas “Lisboa” de 18 polegadas (com pneus 235/40 R18).

No interior encontram-se novos bancos e volante desportivo em pele, ambos oriundos do Golf GTI, que em conjunto com o novo painel de instrumentos adicional (com indicador de temperatura do óleo, cronómetro e medidor de pressão de turbo), colocado no topo da consola central, conferem ao interior um aspecto mais racing, prestando ao mesmo tempo homenagem ao Scirocco original. Os bancos, tanto dianteiros como traseiros, são em pele (extra de @2025) dispõem de um excelente envolvimento, tendo em contraste as costuras em linha branca e uma tira de tecido a imitar fibra de carbono à volta.

Destaque para a introdução de novos equipamentos opcionais, como o sistema de audio da Dynaudio Excite, assistente de estacionamento (ParkAssist) e avisador de ângulo morto, tudo extras que não vinham incluídos na unidade testada, e ainda bem, pois esta dispunha daquilo que considero como fundamental para explorar a sério as capacidades deste chassis, como a suspensão de amortecimento pilotado DCC (extra de €899) e o diferencial autoblocante de controlo electrónico XDS (apenas €193), que em conjunto garantem um comportamento brilhante em curva, que apenas poderia ser melhorado caso tivessem sido escolhidos outros pneus de desempenho superior.

Resta apenas falar na combinação motor caixa, algo que se revela como a opção óbvia para quem procura um coupé de referência e de excelente comportamento. É certo que a preferência a nível nacional irá recair sempre para as opções a diesel, mas os verdadeiros entusiastas deverão afastar-se do 2.0 TDI e optar por esta versão TSI a gasolina, por representar diversas vantagens face ao modelo a diesel. Além da sonoridade, que se torna ainda mais agradável em ritmos elevados, temos o valor máximo de binário disponível logo às 1500rpm até às 4400, o que garante uma disponibilidade impossível de obter numa motorização diesel.

Os 220cv de potência, 10cv a mais que na versão antes da actualização, permitiram introduzir diversas melhorias que garantem uma redução de consumos que chega aos 1,4 litros por cada 100km, sendo possível assim realizar consumos abaixo dos 8 litros com algum cuidado no doseamento da potência no pedal do acelerador. Para tal foi igualmente fundamental o precioso contributo da caixa DSG, de dupla embraiagem e seis velocidades, que passou a dispor do sistema de inércia, que permite desacoplar a caixa sempre que não há necessidade de uso do motor, como numa recta em que se pretenda apenas manter a velocidade actual. Se, ainda assim, não estiver satisfeito com o trabalho da caixa, poderá sempre dar uso ao modo de introdução de mudanças em modo manual, tanto na manete da caixa como nas patilhas do volante.

Motor Prestações
Tipo Quatro cilindros em linha Velocidade Máxima 244 km/h
Capacidade 1984 cc Aceleração (0-100 km/h) 6,5 s
Potência 220 cv (4500 rpm) Consumos (litros/100 km)
Binário 350 Nm (1500 rpm) Urbano (anunciado) 8,1
Transmissão Extra-urbano (anunciado) 5,3
Tracção Dianteira Combinado (anunciada) 6,4
Caixa Automática de dupla embraiagem e seis velocidades Emissões CO2 148 g/km
Chassis Preço
Dimensões (Comp. / Larg. / Alt.) 4256 / 1810 / 1406 mm Valor base €42 389
Peso 1394 kg Valor viatura testada €47 564
Bagageira 312 – 1006 litros I.U.C. €229.36

Mais artigos para si



Detalhes
 
Positivos

- Design agressivo
- Qualidade de construção
- Comportamento com os extras incluídos

Negativos

- Baixos consumos requerem cuidados na condução
- Acesso aos lugares traseiros

Pontuação Motor+
 
Design
9.0

 
Interior
8.5

 
Desempenho
8.5

 
Consumos
8.0

 
Equipamento
8.0

 
Preço
8.5

Pontuação Final
8.4

Vote
Pontuação do Leitor
 
Design
10

 
Interior
4.3

 
Desempenho
9.9

 
Consumos
3.2

 
Equipamento
9.0

 
Preço
7.5

Pontuação do Leitor
1pontuação
0.0

Acabou de pontuar

Resumo
 

O Volkswagen Scirocco, embora não seja propriamente uma novidade, continua a ser uma referência de mercado, especialmente com as ligeiras actualizações introduzidas pelo fabricante. Mais eficaz, confortável e espaçoso (até para os ocupantes traseiros), que muitos dos seus rivais, oferece neste conjunto (motor + caixa + DCC + XDS) um comportamento brilhante, que nos faz imediatamente esquecer a opção diesel TDI, que, embora mais poupada na altura de abastecer, é mais dispendiosa e não oferece as emoções que este TSI de 220cv garante.

Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe um comentário

 

Deixe uma resposta