0 comentários

Porsche opta por suportar Apple CarPlay em detrimento de Android Auto

por em 8 Outubro, 2015
 

Tecnologicamente não existe qualquer impedimento para a Porsche optar por suportar apenas o Apple CarPlay em detrimento do Google Android Auto para funcionamento com a nova geração do seu sistema de infoentretenimento PCM (Porsche Communication Management). Este novo modelo, composto por um ecrã de 7 polegadas multi-touch que pode funcionar como um tablet, vem equipado com um sistema de navegação que pode ser operado como um Smartphone, podendo ainda receber instruções escritas no próprio erã, ou usar o sistema de controlo de voz PCM.

Se tiver um Smartphone, poderá coloca-lo numa bolsa criada para esse mesmo efeito, existindo a possibilidade de o ligar ao sistema PCM através de uma ligação Wi-Fi, Bluetooth ou por cabo. Se, neste último usar um iPhone da Apple, saiba que poderá tirar partido da interface Apple CarPlay, que transforma a interface num autêntico iPad, com acesso directo às aplicações mais usadas para o efeito.

Esta solução poderia funcionar também com o sistema Android Auto da Google, porém, de acordo com um comunicado da Porsche, esta situação não ocorreu porque a Google exigiu que um determinado número de dados dos utilizadores fossem enviados para os servidores da Google, como a velocidade, posição do pedal de acelerador, rotações do motor, temperatura do óleo e do líquido de refrigeração do motor, ou seja, um relatório completo como o realizado quando usada a ligação de diagnóstico OBD2.

Por contraste, a Apple apenas exige saber se a viatura está ou não em andamento, para limitar o uso de algumas aplicações, como forma de garantir a segurança dos ocupantes da viatura, que não possuem assim razões para se distrair da condução devido ao uso do sistema de infoentretenimento. A Google respondeu, afirmando que a lista de dados que a Porsche anunciou não está correcta, mas não revelou quais os dados recolhidos pelo sistema Android Auto.

Segundo a Google, os dados recolhidos servem apenas para limitar as funcionalidades, como a possibilidade de escrever no ecrã, limitando a interacção com o sistema ao sistema de controlo de voz. Em último caso, os utilizadores poderão não aceitar a recolha desses dados, bastando para tal não aceitar os acordos quando ligar o Smartphone Android pela primeira vez ao sistema. Esta decisão da Porsche não deixa de ser estranha, especialmente se tivermos em conta que já mais de 35 companhias estão a desenvolver soluções Android Auto, incluindo a Volkswagen e Audi, que pertencem ao mesmo grupo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais artigos para si