0 comentários

Mercedes-AMG revela GT e GT C Roadster

por em 26 Setembro, 2016
 

E que melhor forma de começarmos esta última semana do mês de Setembro do que uma notícia que fará, certamente, muitos de nós ponderar sobre onde gastarmos dinheiro caso sejamos um dos felizes totalistas do Euromilhões. Trata-se do anuncio da Mercedes-Benz, que revelou a introdução de um importante reforço da família Mercedes-AMG, com a chegada da versão Roadster do brilhante AMG GT.

Disponível em duas versões distintas, a versão Mercedes-AMG GT Roadster e Mercedes-AMG GT C Roadster, estes modelos distinguem-se pelo recurso às duas variantes de potência da motorização 4.0 V8 BiTurbo, criada originalmente para a versão coupé deste modelo desportivo, com 476 cavalos de potência e 557 cavalos de potência, respectivamente, sendo a versão GT C 47 cv mais potente que a versão AMG GT S coupé, e 28 cv menos potente que o recém introduzido AMG GT R.

Porém, além das alterações em termos de potência entre as motorizações, a versão GT C Roadster distingue-se pelo recurso a soluções integradas no AMG GT R, como a traseira mais larga e musculada, rodas de grandes dimensões, via traseira mais larga e direcção activa do eixo traseiro.

Todas estas soluções foram aplicadas para garantir um comportamento de excelência, em termos dinâmicos, permitindo assim extrair melhor desempenho não só dos já referidos 557 cv de potência, como dos 680 Nm de binário máximo, disponível logo às 1900 rpm, graças ao recurso do sistema biturbo desta brilhante motorização.

Mercedes- AMG GT C Roadster

Face à versão coupé, o AMG GT Roadster distingue-se pelo recurso de uma capota de lona de três camadas de tecido extremamente leve, graças ao recurso a uma estrutura ligeira de magnésio, aço e alumínio. Esta capota, de accionamento eléctrico, abre e fecha em apenas onze segundos, podendo o processo ser realizado em circulação, até uma velocidade máxima de 50 km/h, por questões óbvias de segurança.

Visualmente as versões Roadster distinguem-se pela aplicação de uma atraente grelha AMG Panamericana, destacando assim a herança desportiva deste modelo, com a aplicação de 15 lâminas verticais cromadas, tal como são aplicadas no actual AMG GT3 de competição. Foi igualmente utilizado um novo pára-choques dianteiro, que tem como função, além do apoio aerodinâmico óbvio, reforçar o visual do veículo conferindo-lhe uma maior largura.

Juntamente com estes elementos encontram-se outros, como as jantes de liga leve AMG de 19 e 20 polegadas de cinco raios duplos, novos paineis laterais em alumínio mais largos em 57 mm (face ao coupé) e um novo pára-choques traseiro, que devido às suas saídas de ar, melhoram o fluxo de ar na traseira, ao mesmo tempo que integram as duas ponteiras de escape cromadas. ambas as versões recebem um spoiler integrado na tampa da bagageira, que é elevado ou recolhido de acordo com a velocidade do veículo.

Por se tratar de uma versão sem capota rígida, a carroçaria teve que receber o devido reforço estrutural para garantir a rigidez necessária para um comportamento dinâmico de excelência, tendo sido utilizadas várias ligas de alumínio no chassis e na carroçaria, bem como elementos em ligas de magnésio na estrutura dianteira, como forma de garantir uma redução de peso significativa para compensar os reforços de rigidez da carroçaria.

Em termos de reforço, o AMG GT Roadster conta com perfis das longarinas laterais com maior espessura, bem como a aplicação de uma travessa do tablier que está agora ligada à estrutura do pára-brisas por estruturas adicionais de reforço, passando a existir um pilar de suporte entre a capota de lona e o depósito. Em contrapartida, a tampa da bagageira utiliza um material compósito inovador, com a estrutura de suporte de carga a recorrer a painéis de SMC (Compósito de Chapa Prensada) com camadas de fibra de carbono.

Mercedes- AMG GT C Roadster

Mais artigos para si