Secções

Notícias

Ensaios

Ensaios

Audi A5 Cabrio 2.0 TDI 190 Stronic S Line – Pronto para o Verão

Não sendo propriamente uma novidade, o Audi A5 Cabrio promete luxo, conforto e (alguma) versatilidade para o dia-a-dia, seja de Verão ou Inverno… mas não é para todas as carteiras.

Mantendo-se fiel às suas origens, que remontam ao Audi Cabriolet de 1988, baseado no antigo Audi 80, o novo Audi A5 Cabrio continua fiel à elegante capota de tecido, que como acontece com os seus principais rivais, soube evoluir em termos de qualidade de construção e materiais, tendo o recebido os devidos reforços em termos de isolamento térmico e acústico, ao qual se juntam os vidros mais espessos.

Tirando o ruído da chuva a cair na capota, que até consegue ser melhor absorvido que o tejadilho metálico da versão coupé, dificilmente se aperceberá que está a usar uma capota de tecido em vez de uma capota rígida. Visualmente faz todo o sentido o recurso a este tipo de capota, pela elevada elegância proporcionada à silhueta deste belíssimo automóvel, que é, pessoalmente, o Audi mais bonito e com maior personalidade da actualidade.

Naturalmente que neste caso em concreto, a elevada lista de opcionais incluídos contribuem para este agradável resultado visual, com detalhes como a pintura Branco Tofana com acabamento metalizado com efeito de cristal, as belíssimas jantes de 19 polegadas multiraios e o pacote exterior S Line. Este último adiciona elementos como os pára-choques desportivos, ponteiras de escape cromadas e grelha reforçada com elementos em alumínio.

Não posso deixar de referir ainda a presença dos opcionais faróis LED Audi Matrix, que além do excelente desempenho luminoso à noite, oferece um efeito visual muito atraente com os efeitos das luzes de mudança de direcção dinâmicos, tal como acontece com as ópticas traseiras, também estas em LED.

No interior, volta a reinar, como em qualquer Audi moderno, um interior ergonomicamente perfeito, composto por materiais de primeira escolha, e uma montagem isenta de falhas, superior (neste campo) aos seus rivais mais directos, como a BMW e Mercedes. Se em termos de qualidade e ergonomia, nada a apontar, em termos de espaço o A5 Cabrio surpreendeu, ao permitir o transporte de quatro ocupantes de forma confortável, algo raro nos habitualmente limitados lugares traseiros de qualquer cabrio.

Isto deve-se ao aumento de espaço entre eixos, que embora tenha crescido apenas 14 mm, permitiu conquistar mais 18 mm no espaço para as pernas nos lugares traseiros, graças ao recurso de bancos dianteiros mais compactos. Já que falamos em espaço, a capota, quando armazenada no seu compartimento, apenas rouba 30 dos presentes 380 litros, que ainda assim são menos 100 litros que a versão coupé (480 litros). Regressando ao habitáculo, destacamos a presença do Audi Virtual Cockpit (painel de instrumentos digital) e Head-Up Display, bem como do sistema de infoentretenimento de topo.

Estou a falar do já conhecido sistema MMI Navigation Plus com ecrã de 8,3 polegadas, que continua a não ser táctil, bem como obriga o uso do comando rotativo com touchpad MMI Plus, que não é dos sistemas mais intuitivos para usar em conjunto com as plataformas Android Auto e Apple CarPlay. Este sistema incluí o excepcional sistema de som da Bang & Olufsen, composto por 19 altifalantes e um amplificador com DSP (processamento de som digital) de 16 canais de 750 Watts de potência. Estava também presente a Audi Phone Box, um compartimento que permite carregar por indução a bateria de dispositivos móveis compatíveis.

No que toca à motorização, embora o visual seja o de um elegante GT, o motor é o de uma berlina premium, ou seja, o sobejamente conhecido motor 2.0 TDI de quatro cilindros com 190 cavalos de potência. Esta, que é a motorização diesel de entrada para este modelo, encontrava-se acompanhada, neste caso em concreto, da transmissão S tronic de sete mudanças ligada ao eixo dianteiro, embora exista, em opcional, uma versão com tracção Quattro.

Embora se tratasse de um modelo de tracção dianteira, o A5 Cabrio nunca revelou problemas em “digerir” uma condução mais viva, graças ao excelente comportamento do chassis, que além do óbvio reforço na rigidez torcional (+ 40%), obrigatório em qualquer descapotável, viu o seu peso total reduzir até 40 kg, face ao seu antecessor. Mas, melhor do que andar depressa neste Audi, até porque isso poderá levar (facilmente) a perda de pontos na carta de condução, este A5 Cabrio revela-se perfeito para uma agradável viagem à beira mar, nestes dias em que o calor já voltou a fazer-se sentir.

E o melhor de tudo é que neste ritmo de passeio, este 2.0 TDI de 190 cavalos consegue surpreender com consumos na casa dos 6,0 litros por cada 100 km, um valor que ainda assim está afastado do valor irrealista anunciado pela marca, de 4,6 l/100 km. Este tipo de andamento revela-se como fundamental para evitar tantas visitas à bomba de combustível, uma vez que o tanque de combustível tem uma capacidade reduzida, de apenas 40 litros.

Ficha Técnica

Motor Prestações
Tipo Quatro cilindros em linha Velocidade Máxima 232 km/h
Capacidade 1968 cc Aceleração (0-100 km/h) 8,3 s
Potência 190 cv (3800 rpm) Consumos (litros/100 km)
Binário 400 Nm (1750 rpm) Cidade (anunciado) 5,3
Transmissão Estrada (anunciado) 4,4
Tracção Dianteira Média (anunciada) 4,6
Caixa Automática de 7 velocidades Emissões Co2 124 g/km
Chassis Preço
Dimensões (Comp. / Alt. / Larg.) 4673 / 1383 / 1846 mm Valor base €59 610
Peso 1765 Kg Valor viatura testada €83 755
Bagageira 380 / 350 litros I.U.C. €255.71

Notas Finais

Design7.5
Interior8
Desempenho6.5
Consumos6.5
Equipamento5.5
Preço3.5

Gostámos

  • Visual elegante
  • Qualidade de construção
  • Comportamento dinâmico
  • Consumos

A rever

  • Depósito limitado
  • Preço dos opcionais

Conclusão

6.3O Audi mais bonito do actual catálogo da marca alemã destaca-se pela elevada qualidade de construção, excelente ergonomia, motorização eficaz, bom comportamento dinâmico e por uma elegante e rápida capota de lona (abre em 15 segundos até 50 km/h), mas peca pelo exagerado preço dos opcionais, que deverão ser escolhidos com muito cuidado, para evitar exageros como os 24 mil euros adicionais deste caso em concreto.

Gustavo Dias