Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Volkswagen obrigada a parar produção do Golf e Passat em seis fábricas

Uma invulgar situação obrigou a Volkswagen a ter que parar a produção de dois dos seus principais modelos, o VW Golf e Passat, com um total de seis fábricas (Emden, Wolfsburg, Zwickau, Kassel, Salzgitter, Braunschweig) paradas desde 18 de Agosto, afectando o emprego a mais de 27700 trabalhadores. A irregularidade em causa deve-se à falta de fornecimento de componentes para as caixas de velocidades e para os assentos, tendo esta falha um custo estimado de 70 milhões de euros por semana, segundo estimativas da Commerzbank AG.

Esta falha deve-se ao facto de dois fornecedores, a CarTrim e ES Automobilguss pertencentes ao grupo Prevent, da Bósnia, terem entrado em rota de colisão com o Grupo Volkswagen, depois de este ter cancelado em Junho passado uma encomenda no valor de 500 milhões de euros, tendo o grupo Bósnio já realizado todas as mudanças necessárias nas suas fábricas, e adquirido matérias primas, num valor total de 58 milhões de euros, que esperava receber por parte do gigante alemão.

Aparentemente o Grupo Volkswagen já terá chegado a acordo com o Grupo Prevent, não tendo sido revelados quaisquer tipos de detalhes sobre esse mesmo acordo. Segundo alguns analistas, apesar de esta situação aparentar ser uma vitória para o grupo Bósnio, é espectável que a médio e longo prazo o grupo alemão encontre um a alternativa de fornecimento dos mesmos componentes, eliminando assim a dependência dos componentes produzidos por estes fornecedores.

Esta situação veio demonstrar as fragilidades do processo de fabrico designado por “Just-in-Time”, onde os fabricantes recorrem ao fornecimento de componentes directamente para a produção dos seus veículos através de um fluxo contínuo, evitando assim o armazenamento desses mesmos componentes em armazéns, reduzindo significativamente os custos de produção.

Gustavo Dias