Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Fomos a Barcelona conhecer o BMW i3 que se conduz sozinho

A Fira Barcelona foi o palco escolhido pela BMW para ficarmos a conhecer as últimas novidades em termos de tecnologias e serviços de conectividade, bem como para experimentarmos um BMW i3 que teimou em querer-se conduzir sozinho.

A BMW também marcou presença na mais importante feira de equipamentos e serviços móveis do mundo, o Mobile World Congress, que voltou a decorrer na cidade de Barcelona. Desta vez a BMW optou por uma presença mais experimental, através da revelação dos seus serviços e tecnologias de conectividade, bem como a demonstração de um automóvel totalmente autónomo de nível cinco, uma autêntica novidade para nós.

Dividido em cinco estágios, os automóveis de condução autónoma variam de acordo com o nível de assistência proporcionada à condução, sendo o nível máximo (5) garantido que o veículo consegue circular de um ponto A ao ponto B sem qualquer intervenção humana nos comandos. Actualmente as soluções disponíveis em modelos como os BMW Série 7 e Série 5 correspondem a nível 2, para ter uma ideia. Foi este tipo de experiência que a BMW tentou proporcionar com a sua participação no MWC e o seu BMW i3 totalmente autónomo.

Todo o processo começou através do serviço BMW Connected, que permitiu através da tecnologia BMW Digital Key, usar o seu smartphone para trancar ou destrancar a sua viatura BMW, bem como ligar o motor. Este sistema permite ainda partilhar a sua viatura até um valor máximo de cinco utilizadores, desde que os mesmos tenham instalada a aplicação BMW Connected no seu smartphone, existindo outro requisito importante, a de que o seu terminal seja um dispositivo Samsung com NFC activado.

Este serviço será activado oficialmente em Junho do presente ano, através de uma actualização efectuada não só na aplicação móvel, como nas viaturas compatíveis com o mesmo. A BMW irá efectuar essa activação recorrendo ao sistema de update OTA (Over-The-Air), sem que o utilizador dê conta. Não nos foi confirmado que veículos ao certo serão compatíveis, mas acreditamos que sejam os modelos mais recentes, como BMW Série 7, Série 5 e os renovados Série 3 e Série 4.

Relativamente ao modelo autónomo disponível, tratava-se de um BMW i3 devidamente adaptado, de forma a poder alojar todas as câmaras, sensores e LIDAR adicionais, para garantir a sua total autonomia. Visualmente, nunca tínhamos encontrado um veículo de nível 5 tão similar a um veículo tradicional, sem o recurso a grandes câmaras ou sensores externos, como acontece com os veículos da Google, Nvidia e Uber.

A experiência começou através da App BMW Connected e o BMW Digital Key, onde tivemos que “chamar” o i3 até ao local onde nos encontramos, simulando assim uma situação real, como o permitir que a sua viatura saia do local onde estacionou e ir até ao seu encontro. Usando a aplicação, abrimos a porta e sentamos-nos nos lugares traseiros, visto que esta viatura é totalmente autónoma, dispensando da necessidade de haver um condutor ao volante.

O circuito era relativamente pequeno, mas serviu para demonstrar que o BMW i3 autónomo consegue fazer sem intervenção do condutor, parando no local pré-determinado pelo utilizador, como sendo o destino desejado. Foi pena a demonstração ser tão curta, e num espaço tão reduzido.

Por fim tivemos demonstrações sobre futuras soluções de conectividade, como a tecnologia eSIM, que permite melhorar o acesso a dados através de um cartão SIM adicional (para além do instalado no veículo) e a ligação 5G, que poderá revelar-se como fundamental para os futuros serviços de conectividade com infraestruturas e outros veículos no futuro (C-ITS – Cooperative Intelligent Transport Systems).

Gustavo Dias