Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Todos os futuros Mercedes-AMG serão com tracção integral

Segundo uma entrevista realizada pela publicação britânica Autocar (veja aqui), Tobias Moers, responsável máximo da divisão de performance da Mercedes-Benz, afirmou que todos os novos modelos Mercedes-AMG utilização tracção integral a partir de 2021, como forma de ir ao encontro dos desejos dos seus clientes.

Durante a entrevista, Moers revelou que quando tinham colocado como opcional o sistema de tracção integral no Classe E AMG, que mais de 90% das encomendas foram realizadas com este opcional, e que os mais recentes modelos AMG, como o E63, que o avançado sistema de tracção AMG Performance 4MATIC permite forçar a transferência da potência para o eixo traseiro, utilizando para tal o modo de condução Drift.

Nem mesmo o desportivo AMG GT escapará a essa mudança, com Moers a afirmar que, quando questiona os potenciais clientes deste modelo, a pergunta mais comum é quando o AMG GT terá tracção integral, como forma de se equiparar aos seus rivais mais directos, especialmente em zonas onde a tracção integral é mais desejada, como a região de Munique, por questões de segurança e estabilidade.

No que toca às motorizações, Tobias Moers afirmou que os motores V8 continuarão a existir, mas serão electrificados, não para se obter maior potência, mas para reduzir as emissões de gases. O primeiro modelo a receber esta solução será o AMG GT de quatro portas, que terá um rival à altura do Porsche Panamera S E-Hybrid. Já as motorizações V12 terão os dias contados, pelo menos junto dos modelos Mercedes-AMG, já que o futuro Maybach e a Pagani deverão continuar a ser fornecidos com motores AMG V12. O último Mercedes-AMG a utilizar um motor V12 será o S65 Final Edition, revelado no último salão de Genebra.

Relativamente às restantes motorizações, Moers não confirmou nem desmentiu os rumores que as variantes V8 mais compactas, como o C63, irão substituir os actuais V8 por modelos V6 sobrealimentados, e negou que seja possível recuperar a gama SLC, já que este é um mercado que tem perdido procura e rentabilidade. A AMG, por sua vez, está muito empenhada no desenvolvimento da próxima geração do Mercedes-Benz SL, que segundo Moers, partilhará a plataforma do futuro AMG GT.

Gustavo Dias