Secções

Notícias

Ensaios

Ensaios

Mazda CX-30 2.0 e-Skyactiv G 2WD – Nova referência no segmento

Notas Finais

Design8.5
Interior8
Desempenho7.5
Consumos8
Equipamento8
Preço7

Gostámos

  • Design
  • Nível de equipamento
  • Qualidade de construção
  • Consumos

A rever

  • Disponibilidade a baixos regimes
  • Suspensão firme

Conclusão

7,8O Mazda CX-30 é um dos mais elegantes SUV do seu segmento, surpreendendo pela referencial qualidade de construção, conforto a bordo, bom comportamento dinâmico e, nesta variante de 150 cavalos a gasolina, por ser muito agradável de conduzir, e estranhamente eficiente. Uma agradável surpresa.

Foi no final de 2019 que tivemos a oportunidade de conhecer o novo Mazda CX-30, um SUV que é claramente inspirado no design do Mazda3, mas que oferece maior espaço e maior requinte que o CX-3, embora num formato mais compacto e harmonioso que o CX-5, razão pelo qual os responsáveis da marca afirmam que o mesmo iria ocupar o lugar existente entre os SUV CX-3 e CX-5. Na realidade nem sabíamos que existia esse espaço, mas depois dos primeiros quilómetros ao volante do novo CX-30, todas as dúvidas foram dissipadas.

Porém, foi só em solo nacional que foi possível comprovar as qualidades deste novo SUV numa utilização quotidiana, situação essa que revelou ser uma agradável surpresa, em todos os sentidos. Visualmente o CX-30 é, actualmente, o mais elegante SUV comercializado pelo fabricante japonês, com proporções perfeitas, e um visual muito atraente. Mas se por fora as diferenças até podem não ser significativas face a outros modelos da marca, é no interior que o CX-30 se destaca.

 

Não sendo particularmente amplo, o espaço disponibilizado permite transportar quatro ocupantes, de forma bastante confortável, tanto em trajectos curtos como em longas viagens. A bagageira, não sendo uma referência no segmento, com os seus 430 litros, tem a particularidade de oferecer uma tampa que permite colocar a base plana quando os bancos traseiros são rebatidos, oferecendo nessa situação até 1406 litros de capacidade.

O portão da bagageira tem a particularidade de ter uma abertura eléctrica, o que é raríssimo num modelo deste segmento, dando claramente a entender que estamos perante um modelo com um nível de equipamento e uma qualidade de construção acima da média do segmento.

E já que falamos em qualidade de construção, todo o interior está muito bem organizado, em termos de ergonomia, sendo de destacar a qualidade dos materiais utilizados, bem como a sua montagem, superior inclusive a alguns modelos rivais germânicos, que nos últimos anos têm estado a perder qualidade. A qualidade a bordo é tal que nunca encontrámos um modelo deste segmento com uma insonorização são eficaz, tanto do ruído do motor como do ruído aerodinâmico.

Por se tratar de uma versão Evolve, que já de si incluí uma vasta oferta em termos de equipamento, como o ar condicionado automático, head-up display, sistema de infoentretenimento Mazda Connect com navegação, conectividade e plataformas Android Auto e Apple Car Play, bem como oito colunas de som, sendo a lista acrescida por sensores de estacionamento dianteiros, câmara traseira e vidros escurecidos, uma vez que o modelo ensaiado tinha incluído o pack i-Active.

Em termos de condução, este Mazda CX-30 vinha equipado com a motorização de quatro cilindros a gasolina e-Skyactiv G de 150 cavalos, existindo ainda variantes de 122 e 180 cavalos, este último associado ao revolucionário e-Skyactiv X. Esta motorização, que recorre a um sistema micro-híbrido, que recorre a um gerador-motor de arranque, permite gerar energia durante as desacelerações para carregar uma pequena bateria de 24v, que por sua vez auxilia o motor de combustão em situações de maior aflição.

Esta solução permitiu atingir consumos verdadeiramente baixos, muito próximos dos anunciados pelo fabricante, com 6.3 litros por cada 100 km obtidos ao longo dos vários dias a que tivemos oportunidade de o ensaiar. Este motor, para além de estranhamente eficiente, destaca-se pela extrema suavidade de funcionamento, e por revelar uma elevada elasticidade, que é devidamente explorada pela excelente caixa manual de seis velocidades, embora tenhamos sentido alguma falta de disponibilidade a baixos regimes.

Destaque ainda para a precisa direcção, especialmente se tivermos em conta tratar-se de um SUV, e pela excelente calibragem da suspensão, que garante um excelente comportamento em estrada, mas que poderá revelar-se exageradamente rígida para quem quiser explorar a vertente offroad deste Mazda CX-30.

Ficha Técnica

MotorPrestações
TipoQuatro cilindros em linhaVelocidade Máxima198 km/h
Capacidade1998 ccAceleração (0-100 km/h)8,8 s
Potência150 cv (6000 rpm)Consumos (litros/100 km) WLTP
Binário213 Nm (4000 rpm)Cidade (anunciado)6,4
TransmissãoEstrada (anunciado)5,1
TracçãoDianteiraMédia (anunciada)5,9
CaixaManual de 6 velocidadesEmissões Co2134 g/km
ChassisPreço
Dimensões (Comp. / Alt. / Larg.)4395 / 1540 / 1795 mmValor base€30 929
Peso1344 KgValor viatura testada€33 483
Bagageira430 / 1406 litrosI.U.C.€103.12

Deixe uma resposta