Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Mercedes-Benz aposta na electrificação na Classe C, E e S

De uma só vez, a Mercedes-Benz revelou todas as novidades em termos da electrificação dos actuais modelos da gama C, E e S, com a chegada de novos modelos Híbridos Plug-In. Todos estes modelos partilham o novo motor eléctrico de 90 kW, e uma autonomia superior a 50 km em modo totalmente eléctrico.

Não é novidade o desejo da Mercedes-Benz em electrificar todas as gamas de veículos até 2022, desde a família Smart aos modelos SUV topo de gama. Ao todo, até 2022, a Mercede-Benz espera ter até 130 variantes de veículos electrificados, que irão usar desde o sistema de micro híbrido de 48 volts EQ Boost, modelos Híbridos Plug-In, modelos totalmente eléctricos e com células de combustível.

Para atingir esta meta, a Mercedes-Benz iniciou a electrificação das suas gamas mais emblemáticas, o Classe C, Classe E e Classe S, que partilharão, entre si, a mesma solução eléctrica, desenvolvida em conjunto com a Bosch. Um dos componentes fundamentais desta solução consiste num motor eléctrico de 90 kW de potência (123 cv) e 400 Nm de binário máximo, estando este integrado na transmissão 9G-Tronic Plug-In Hybrid, permitindo assim transições entre o motor eléctrico e o de combustão extremamente suaves.

Este motor eléctrico permitirá uma condução livre de emissões até uma velocidade máxima de 130 km/h, e uma autonomia de, pelo menos, 50 quilómetros, dependendo do modelo em questão. Para tal foi fundamental a utilização de uma nova bateria de 13.5 kWh de capacidade, desenvolvida pela Deutsche ACCUMOTIVE (uma subsidiária da Daimler), que oferece uma maior densidade graças à utilização de novos compostos químicos. Esta bateria pode ser carregada em 1.5 horas usando uma Wallbox, ou 5h usando uma tomada doméstica, graças ao carregador de 7.4 kW instalado de série.

Este sistema poderá ser gerido através de um botão específico, que permite escolher entre um dos quatro modos disponíveis, como o modo Hybrid, activado por defeito, que faz uma gestão inteligente para garantir baixos consumos usando as duas motorizações, o modo E-MODE que utiliza exclusivamente o motor eléctrico (fundamental no centro de algumas cidades europeias), o modo E-SAVE que permite poupar a bateria caso, e o modo CHARGE, que permite carregar a carga da bateria enquanto conduz.

Começando pelo Classe C, a Mercedes-Benz aproveitou a recente renovação deste modelo, introduzindo assim duas motorizações híbridas Plug-In, que terão a designação de C300de e C300e. O primeiro modelo utilizará a nova motorização diesel OM 654 de quatro cilindros e dois litros de capacidade, a mesma utilizada na versão C220d, com 194 cavalos de potência e 400 Nm de binário, que em conjunto com o motor eléctrico, oferecerá uma potência combinada de 306 cv e 700 Nm de binário.

Esta combinação permitirá ao Classe C, tanto na versão Limousine como Station, registar consumos de combustível de apenas 1.4 a 1.6 l/100km, e emissões de CO2 que rondam os 38 a 42 g/km de CO2. A bateria de 13.5 kWh permitirá uma autonomia em modo totalmente eléctrico de 57 km para a Limousine, e 56 km para a Station. Em termos de desempenho, o C300de terá uma velocidade máxima de 250 km/h, e uma aceleração dos 0 – 100 km/h em apenas 5.6 segundos. Mais tarde será lançada a versão equivalente com motorização a gasolina C300e.

Já a Classe E terá à sua disposição duas versões Híbridas Plug-In, o E300e com motorização a gasolina, e o E300de com motorização diesel. O primeiro utilizará um motor de quatro cilindros com dois litros de capacidade com 211 cavalos e 350 Nm de binário, que em conjunto com o motor eléctrico, oferecerá uma potência combinada de 320 cavalos e 700 Nm de binário máximo. Já o E300de utilizará a mesma solução do C300de, ou seja, o motor diesel OM 654 de dois litros e quatro cilindros, que oferecerá 306 cv de potência combinada e 700 Nm de binário máximo combinado.

Embora os motores de combustão utilizem combustíveis distintos, o comportamento é muito similar entre os dois, estando a Mercedes-Benz a anunciar um poder de aceleração de 5.7 segundos dos 0-100 km/h para o E300e, e 5.9 segundos para o E300de, estando ambos limitados aos 250 km/h de velocidade máxima. Em termos de consumos, o E300e terá um consumo combinado de 2.0 l/100km, com o E300de a garantir 1.6 l/100km. Isto corresponde a 45 e 41 g/km de emissões de CO2, respectivamente. Em termos de autonomia eléctrica, o E300e garante até 50 km, com o E300de a anunciar até 54 km.

Por fim encontramos o todo-poderoso Classe S, que tem sido pioneiro na electrificação dos veículos da Mercedes-Benz, ao ter sido o primeiro modelo híbrido da marca alemã com o S400 Hybrid em 2009, e o primeiro Plug-In em 2014, com o S500 Plug-In Hybrid. Nesta terceira geração de modelos electrificados, o Classe S passa a estar disponível como sendo S560e, que tal como no Classe C e Classe E, continua a contar com os préstimos do motor eléctrico de 90 kW de potência, integrado na transmissão automática 9G-Tronic Plug-In Hybrid, mas que estará associada a um motor de seis cilindros a gasolina.

Trata-se de um V6 de três litros a gasolina, de 367 cavalos de potência e 500 Nm de binário, que associado ao motor eléctrico, passa a debitar 476 cavalos e 700 Nm de binário máximo. Isto permitirá ao S560e atingir os 100 km/h em apenas 5.0 segundos, mas mantém-se fiel aos 250 km/h de velocidade máxima limitada. Capaz de percorrer até 50 km em modo totalmente eléctrico, a Mercedes-Benz anuncia consumos combinados de apenas 2.5 l/100km, o que corresponde a apenas 57 g/km de emissões de CO2.

Gustavo Dias