0 comentários

Polestar 1: Um GT híbrido de 600 cavalos

por em 20 Novembro, 2017
 

A cidade de Xangai foi o local escolhido para a apresentação do rumo da Polestar, enquanto marca autónoma dentro do grupo Volvo. Thomas Ingenlath, CEO da Polestar, aproveitou a ocasião para revelar como nasceu o primeiro modelo da marca, através de um desafio de Hakan Samuelsson, CEO da Volvo Cars, que questionou Thomas com a seguinte pergunta: “Consegues imaginar este modelo sem a marca de ferro (símbolo da Volvo)?

O modelo em questão era o Volvo Concept Coupé, que Thomas acabaria por experimentar numa versão próxima de produção, tendo ficado com a impressão de que este modelo, embora acabasse por influenciar o design dos actuais modelos da marca Sueca, merecia uma designação própria e uma identidade própria, tal era a beleza que irradiava. Baixo, largo e com um perfil de um Grande Turismo puro, assim nasceu a ideia do Polestar 1.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Porém, para garantir tratar-se de um modelo verdadeiramente único, a Polestar optou por modificar tudo quando foi possível, pois embora utilizasse a plataforma modular SPA da Volvo Cars, este foi “encolhido”, ao terem-lhe sido removidos 320 mm na distância entre rodas, bem como 200 mm na secção final, conferindo-lhe um comprimento total de 4,5 metros (5,15m no S90).

A aplicação de uma carroçaria totalmente em fibra de carbono permitiu aumentar a rigidez torcional em 45% (face ao S90), bem como reduzir o peso de todo o conjunto em 230 kg, ao mesmo tempo que o permitiu distribuir de forma mais equilibrada (48:52) entre eixos. Esta redução foi fundamental para a aplicação de toda o sistema eléctrico e electrónico, visto tratar-se de um modelo híbrido Plug-In com aquela que é, actualmente, o maior alcance do mercado em modo totalmente eléctrico.

Recorrendo a um motor de combustão Drive-E (2.0 turbo) no eixo dianteiro e a dois motores eléctricos no eixo traseiro, o Polestar 1 pode circular em modo totalmente eléctrico durante 150 quilómetros, podendo esse alcance ser expandido através do recurso do motor de combustão interna presente. Em modo híbrido, o Polestar 1 revela todo o seu potencial, ao debitar 600 cavalos de potência combinada e 1000 Nm de binário. Infelizmente não foram revelados dados de desempenho, mas se tivermos em conta que o Volvo S90 T8 atinge os 100 km/h em apenas 5,2 segundos e uma velocidade máxima de 240 km/h, dá para termos uma ideia de como pode um modelo mais curto, leve e com mais potência (mais 200 cv e 360 Nm) deverá comportar-se.

Made in China

O Polestar 1, embora totalmente desenvolvido na Suécia, será produzido em exclusivo na nova fábrica e Chengdu, na China, visto que o mercado Chinês é, actualmente, o principal impulsionador da mobilidade eléctrica. Este modelo será igualmente o primeiro modelo do grupo que não pode ser comprado, mas sim alugado através de uma subscrição de serviço. Esta solução, que deverá ter uma duração de dois ou três anos, incluí todos os serviços de entrega, manutenção, seguros, assistência personalizada, bem como a possibilidade de usufruir de outros modelos Polestar ou Volvo.

Esta solução permitirá subscrever a serviços adicionais temporários, como a instalação temporária de uma bagageira de tejadilho, caso pretenda ir de férias com a viatura, sendo-lhe instalada e desinstalada de acordo com o pedido realizado. Passado o período de dois ou três anos, a viatura é devolvida, sendo-lhe entregue um novo modelo Polestar (caso pretenda manter o serviço), sendo o actual requalificado para um novo utilizador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Porém, o facto de ser um Polestar significa que a experiência de condução foi optimizada ao máximo, razão pelo qual a Polestar aliou-se a diversos especialistas como a Öhlins para a criação da primeira suspensão do mercado a usar um controle electrónico contínuo (CESi). Este sistema recorre a amortecedores com uma válvula electrónica, que é ajustada em tempo real, tendo em conta o comportamento do condutor e o estado do piso.

Outro parceiro que a Polestar recorreu foi a Akebono, que desenvolveu um poderoso sistema de travagem que recorre a discos de 400 mm de diâmetro e bombas de travagem de seis êmbolos. Para garantir um comportamento em curva perfeito, os dois motores eléctricos que actuam no eixo traseiro recorrem a um conjunto com rodas planetárias, de modo a conseguir criar um verdadeiro sistema de vectorização de binário que, ao contrário dos tradicionais sistemas, não travam a roda interior, evitando abrandamentos em curva.

Futuros modelos

Embora o Polestar 1 só inicie a produção em 2019, com um total de 500 unidades por ano, a marca irá lançar outros dois modelos, o Polestar 2 e Polestar 3. O Polestar 2 será o primeiro modelo 100% eléctrico a ser lançado pelo Grupo Volvo, e terá dimensões mais compactas, tornando-o num rival do Tesla Model 3. Já o Polestar 3, igualmente eléctrico, utilizará o formato SUV, enquadrando-se entre o Polestar 1 e Polestar 2, tanto em termos de volume como de preço.