Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Porsche irá criar a sua própria rede de super carregamento

A Porsche irá criar a sua própria rede de super carregamento de 800v DC para permitir que um carregamento de 20 minutos possa garantir uma autonomia de 400 quilómetros no novo Mission E.

Com o lançamento do seu primeiro veículo totalmente eléctrico a aproximar-se, os responsáveis da Porsche têm vindo a revelar mais dados sobre a estratégia da empresa para garantir o sucesso do Mission E. Este desportiva de quatro portas, que virá equipado com quatro motores eléctricos que irão garantir uma potência total de 600cv combinados, utilizará uma bateria de 95 kWh, garantindo assim 500 km de autonomia.

Porém, para garantir que o efeito de ansiedade, típico nos veículos eléctricos, não tenha fundamentos neste modelo, a Porsche irá equipar todos os seus concessionários com uma rede de carregamento super rápido de 800 volts de corrente contínua (DC) e 320 kW. Através deste sistema de super carregamento, será possível carregar a bateria de grande capacidade em pouco tempo, bastando 20 minutos para garantir uma autonomia adicional de 400 quilómetros, ou 40 minutos para carregamento total da bateria.

Só nos Estados Unidos, todos os 189 concessionários que compõem a rede oficial Porsche receberão estes postos de super carregamento rápido, estando o mesmo previsto para o continente Europeu. Segundo Stefan Weckback, Vice-Presidente da Divisão de Veículos Eléctricos na Porsche AG, este serviço de carregamento rápido não será gratuito, embora estejam a ser ponderados diferentes tarifários.

Stephan Weckback aproveitou a entrevista para referir que ao contrário da Tesla, que utiliza o sistema Ludicrous Plus para arranques rápidos, que estes estão limitados a 2 a três arranques, de forma a evitar danificar os motores e as baterias, mas que o Mission E, por ser um Porsche por natureza, permitirá arranques rápidos sempre que desejar, sem qualquer limitação. E ao contrário do que alguns esperavam, não será utilizado nenhum dispositivo para simular o som dos seus motores de combustão interna.

Gustavo Dias