Secções

Notícias

Ensaios

Notícias

Mercedes-Benz fecham 2017 com melhores resultados de sempre

Decorreu no Restaurante Eleven, em Lisboa, mais uma conferência anual da Mercedes-Benz Portugal, onde foram revelados os resultados do ano de 2017, que se revelou com o melhor de sempre da marca de Estugarda em Portugal. Mantendo a tendência de crescimento registada nos anos anteriores (6,3% em 2017), a Mercedes-Benz Portugal conseguiu o feito de ser a quarta marca automóvel mais vendida em Portugal e uma das maiores quotas de mercado a nível europeu, 7,3%.

Para tal contribuiram os 16.273 automóveis Mercedes-Benz vendidos nos 12 meses de 2017, ao qual se juntam as 1.728 unidades do segmento Mercedes-Benz Vans, e as 724 unidades da Mercedes-Benz Trucks. Também a Smart registou um excelente ano, com 3126 unidades vendidas, o segundo melhor ano de sempre em Portugal, resultado esse que lhe permitiu atingir 1,4% de quota de mercado, o melhor resultado a nível mundial. No total, foram vendidos 19.399 automóveis do Grupo Daimler em Portugal, ou seja 21.949 unidades entre automóveis, comerciais ligeiros, pesados e de passageiros.

Curiosamente, embora o segmento dos modelos compactos (Classe A, B, CLA e GLA) continue a predominar com um total de 8.728 unidades, o Classe A perdeu o domínio absoluto das vendas que tem detido nos últimos anos (4.702 unidades), passando esse domínio a ser partilhado com a família Classe C (nas variantes C, C Station, SLC e GLC) com 4.740 unidades vendidas. A família Classe E registou 2.258 unidades nas suas diversas unidades (que incluem CLS e GLE), valor este que deverá ser ultrapassado com a chegada da nova geração CLS.

No topo da hierarquia está a família Classe S, que tendo recebido um recente facelift, conseguiu registar 98 unidades vendidas em apenas 4 meses de comercialização, um valor impressionante para o total de 187 unidades, entre as quais 168 para a Limousine pré-facelift, 11 Coupés e 8 Cabriolet. Se juntarmos as vendas do histórico SL e o SUV GLS, o valor da família Classe S sobe para as 212 unidades.

De destacar o facto de em 2017 terem sido comercializadas 151 unidades pertencentes à família Mercedes-AMG, o melhor de sempre em Portugal e que representa um crescimento de 25% face ao ano anterior. Para tal contribuíram, não só, o lançamento de versões AMG Performance como os C43 e E43, bem como do lançamento do AMG GT Roadster e AMG GT R para um total de 21 unidades da gama AMG GT, que só não foi superior devido à falta de capacidade de produção da fábrica para satisfazer as encomendas em Portugal.

E já que falamos em modelos exclusivos, Portugal será um dos mercados que receberá o futuro AMG GT de 4 portas, em Outubro, bem como será o destino final de uma das 225 unidades do hiper-desportivo Project One, tendo este negócio sido concretizado em Agosto, para um proprietário da região Norte do país, e que envolveu uns impressionantes de 3 milhões de euros. Para os mais desatentos, o AMG Project One é um hiper-carro que assinala os 50 anos da AMG ao usar uma motorização baseada na utilizada na Fórmula 1, composta por um motor 1.6 V6 híbrido de 11.000 rpm, capaz de debitar 1000 cavalos de potência.

Como habitual, foram reveladas algumas das novidades que serão introduzidas em 2018, de onde destacamos a chegada do facelift do resto da família Classe S, como o S Coupé e S Cabrio, a chegada em Março da segunda geração do CLS, revelação da nova geração do histórico Classe G e a segunda geração do Classe A em Maio, introdução do facelift do Classe C em Julho, o já referido AMG GT de 4 portas em Outubro e introdução do Classe A Limousine em Novembro, um modelo novo que permitirá oferecer um formato mais familiar ao Classe A.

Para a gama Smart é esperada a introdução da versão aventureira CrossTown para a gama Smart ForFour em Abril, e de diversas edições especiais Smart (ForTwo e ForFour) para Julho, altura em que se celebrará os 20 anos da Smart. No que toca a motorizações, destaque para a introdução do novo 300d, que utilizará uma variante mais potente de 245 cavalos do turbodiesel 2.0 de quatro cilindros já introduzido na gama E. Também o Classe C irá receber esse motor, bem como um novo 1.6 a gasolina e a versão 220d será actualizada, passando a oferecer 194 cv (Face aos actuais 170 cv).

Porém, a grande revolução será com o novo Classe A, que irá estrear um novo turbodiesel 1.5 de 116 cavalos, bem como um novo motor a gasolina 1.4 Turbo (totalmente desenvolvido pela Mercedes), que será utilizado na versão A 200 com 163 cavalos, bem como numa versão híbrida Plug-In com 240 cavalos de potência combinada. Existirá ainda a conhecida variante AMG 45, que deverá contar com 400 cv de potência, bem como uma variante mais acessível, designada de AMG 35, que terá 300 cv de potência. Será ainda lançada a primeira motorização híbrida Plug-In a gasóleo da Mercedes-Benz, que associa o motor 2.0 diesel com um motor eléctrico, garantindo uma potência combinada de 316 cv e emissões abaixo das 70 g/km.

Gustavo Dias